quinta-feira, 13 de julho de 2017

CRIANDO UM JARDIM: COMO FIZ O PAISAGISMO DA CASINHA 99

Eu sou aquela pessoa que demorou - e muito - para entender o valor das plantas e como cuidar de cada tipo de forma adequada. Matei várias samambaias, pés de manjericão e cactos (sim! haha) no decorrer do caminho. E QUASE matei um lírio branco que foi salvo do apocalipse pelas mãos da minha mãe, a fada das prantinha. Porém, acredito que finalmente saquei o feeling do paisagismo e hoje posso dizer que tô curtindo a beça. 

A minha casa, no projeto, tem um jardim de inverno, cuja porta de correr dá para a sala de TV/estar, e a janela dá para o escritório. Ficava vendo aquele canto triste, com terra, onde gatos miravam o banheiro perfeito (na rebeldia mesmo, diga-se de passagem), sem nada. Aí convoquei dona Dirlene e fomos atrás das plantas. 

Mamai na floricultura manjando dos Paranauê
A concepção do jardim é todo de mamai. O espaço é um retângulo onde há um paredão sem beiral, ou seja, não ia pegar muita luz. Já chegamos para ver plantas com essa condição, ou elas não sobreviveriam ali. 

Começamos então pelas ráffias. Minha mãe é a mestra da descoberta de novas floriculturas com preços em conta, baratinhas. Compramos 5 ráffias para os fundos do jardim. Compramos também 5 sacos de terra escura, daquela que dizem que é a melhor. Não me lembro do nome de todas as plantas, mas pegamos também moreias e aspargo-rei (amo esse nome).

Primeiro limpamos pedras, cascalhos desnecessários e sujeiras do espaço, que ainda tinha pedaços da obra. Depois jogamos a terra e fomos plantando as mudas em uma disposição meio "zig-zag" (ideia de mamai). Finalizamos com uma contenção para receber as pedras (uma camada de pedra comum por baixo, outra de pedra branca, por cima). Ainda falta jogar as cascas de árvore para cobrir a terra.

Antes (bagunça) e depois (jardiiim)
Tudo, plantas desse jardim, mais as moreias que coloquei na parte externa da casa (churrasqueira e portão), mais a grama (mais de 20 metros) que terminei de plantar na parte externa, vaso, terra, tudo somado, meu gasto foi de R$ 420 reais. Foi muita coisa, mesmo. A planta mais cara foi a costela de adão, que paguei R$ 22 (veja abaixo). Mas compramos muitas, além de grama e bastante terra.

Parte externa 
Um orçamento de jardinagem como o que fizemos, sei por cima que vai bem mais que isso.

A planta mais cara foi uma costela de adão que eu plantei num vaso e coloquei na sala. A costela de adão é aquela planta bapho do Pinterest, achei uma grandona e vistosa, e não tive dúvidas. Ela não gosta de sol e é regada com pouca frequência. E eu já aprendi que quanto mais resistente, melhor será minha vida com aquela planta. 

A costela <3 
A rotina de manutenção é simples. Eu tenho regado tudo dia sim, dia não. O lírio sobrevivente e a costela de adão eu rego 1x na semana. Tem dado certo.

Próximo passo: uma hortinha vertical. Alecrim, manjericão, tomilho... Não vejo a hora!

Talvez (só talvez) eu também vire a loka das planta xD

Até mais <3 

Siga @decorhonesta no Instagram

3 comentários:

  1. Loka das planta? Eu. Desde sempre. kkkkkk
    Moro em apê e já montei meu cantinho verde, porque aprendi com minha mãe que uma casa feliz precisa de plantas. Sim, ela tb era a loka das planta.
    Adorei seu projeto. Ficou mto bacana! =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre fui ruim com plantas, mas nossas mamais abençoadas sempre tiveram algo a nos ensinar né? Quero conhecer seu cantinho verde!!!

      Excluir
  2. Sempre fui a louca das pranta de qualquer espécie e achei o resultado bem bonito. E são plantas que não exigem cuidados muito especiais então sempre ficarão lindas! :-*

    ResponderExcluir